Existem vários passos necessários para uma boa estruturação empresarial, principalmente quando estamos falando de uma transportadora. A escolha do regime tributário é um dos passos mais importantes dessa lista, e mais que indispensável para o sucesso da empresa.

No Brasil existem três principais regimes de tributação que podem ser escolhidos pela sua transportadora. Esses que têm relação direta com alguns dados de sua empresa. Os tipos são:

  •     Simples Nacional;
  •     Lucro Presumido;
  •     Lucro Real.

A escolha deve ser sempre feita e analisa de por um contador com conhecimento no assunto, a fim de evitar problemas com o fisco. Lembre sempre que de acordo com as normas tributárias de nosso país – Quem paga mal paga duas vezes.

A análise que será promovida pelo contador levará em conta o porte de seu negócio, a sua área de atuação, os planejamentos de rendimento, entre outros. Vejamos abaixo mais detalhes sobre cada regime tributário para transportadora e qual o melhor para o seu negócio.

CONHEÇA OS REGIMES DE TRIBUTAÇÃO PARA TRANSPORTADORA

Bem, antes de mergulharmos nos regimes em específico, você já sabe quais são os principais tributos que a sua transportadora está obrigada a pagar? Esta é uma informação super relevante para o seu planejamento tributário, e é a chave para que você se mantenha em dia com o fisco.

  •     IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica): Sendo um tributo federal de responsabilidade de todas as pessoas jurídicas em atividade no país – exceto MEIs – as empresas de transporte de cargas precisam arcar com o valor de 8%;
  •     ISS: Sendo um imposto municipal, o ISS é o Imposto Sobre Serviços e deve ser pago por todo profissional que presta serviços de alguma forma. Vê-se incluído nesse rol o transporte de materiais;
  •     ICMS: Este que é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, é um imposto estadual cobrado sempre que a mercadoria circula ou quando o transporte de cargas é realizado;
  •     Cofins: A Contribuição para o financiamento da Seguridade Social é um tributo federal e varia de 3% a 7,6% a depender do regime escolhido para sua transportadora;
  •     PIS: O Programa de Integração Social é um imposto federal que incide sobre o faturamento mensal de sua transportadora. As alíquotas vão de 0,65% a 1,65%;
  •     CSLL: Por fim, temos a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. O dinheiro aqui arrecadado vai para o financiamento da Seguridade Social, que inclui desde a saúde pública, assistência social até previdência.

regime tributário da transportadora

Como deu para notar, alguns dos impostos acima listados dependem do regime tributário para transportadora que for escolhido.

Vamos agora enumerar os 3 existentes para que você compreenda tudo sobre eles de forma detalhada:

 

1- SIMPLES NACIONAL:

Começando com um dos mais conhecidos, o Simples Nacional possui duas grandes vantagens. A primeira se refere aos valores de alíquotas, que são menores. Num segundo ponto, é a simplicidade tributária, que facilita o controle de sua empresa. O ponto é a limitação: enquadram-se nesse modelo de tributação para transportadora toda aquela que possua de receita bruta até R$ 3.600.000,00. Nem sempre esse regime é o mais vantajoso, já que fatores como o INSS patronal e a contribuição ao INSS podem pesar no orçamento;

2- LUCRO REAL:

Sendo um regime obrigatório para toda empresa que seja dotada de um faturamento superior a R$ 78.000.000, ou empresas com atividades voltadas ao setor financeiro, esse sistema de contribuição é calculado com base no lucro real. Ou seja, a receita menos as despesas. Por isso, o empreendimento deve ser deveras organizado nas contas; 

3- LUCRO PRESUMIDO:

Num terceiro e último ponto temos o Lucro Presumido, onde qualquer empresa pode se cadastrar. Entretanto, o lucro anual não pode ser superior a R$ 78.000.000, já que isso a enquadraria no Lucro Real. No caso desta modalidade aqui descrita, o Imposto de Renda e a CSLL incidem sobre uma alíquota que é prevista e revisada pela Receita Federal.

E AGORA, COMO FAZER O PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO?

Para continuar a organização de sua transportadora, você precisará fazer o planejamento tributário. Este que é o conjunto de sistemas legais que visam diminuir ao máximo o pagamento de tributos. Seria aqui o enquadramento no regime tributário para transportadora que mais lhe favorece.

Procure uma boa assessoria contábil e fiscal para lhe assessorar nessa empreitada. Lembre-se que esse setor pode ser tanto interno quanto terceirizado, mas o mesmo precisa sempre se manter atualizado com relação a legislação relacionada ao transporte, para que tenha condições de orientar sua empresa sobre a maneira correta de tratar cada situação.

Outro ponto essencial é o investimento em tecnologia a favor da gestão tributária de sua transportadora. Este que pode ser a solução para reduzir os trabalhos manuais que acabam ocasionando erros com maior frequência.

Um bom sistema de gestão que automatiza os cálculos e integra as informações de sua transportadora num só lugar é capaz de ajudar em sua estrutura empresarial de forma rápida e eficiente. Somada à assessoria de um bom setor contábil que direcione e faça o acompanhamento do dia a dia empresarial, tem-se aqui uma das abordagens mais saudáveis diante do fisco.

RESPEITO AO FISCO E FOCO NO CRESCIMENTO

Vez que você esteja em dia com o fisco, é só focar no crescimento de sua transportadora, sabendo que está no regime de tributação que melhor lhe convém, e que não terá surpresas no final do semestre ou do ano.

Essa confiança de que tudo está sendo bem gerido vem apenas de uma boa organização e do cuidado minucioso com os dados. Tenha essa segurança a partir da adesão a um software de gestão! Fale conosco e conheça mais sobre os mesmos!

Gostou do post de hoje sobre os conceitos de gestão? Então assine a newsletter e acompanhe mais conteúdo como este!

Um comentário

Faça um comentário